Reeducação alimentar
Na dieta!

Reeducação alimentar: Primeiras semanas

Hoje vim compartilhar com vocês um pouco de como tem sido a experiência de encarar o processo de reeducação alimentar nessas primeiras semanas.

Para quem ainda não sabe, eu estou passando por um processo de reeducação alimentar. Já estou há quase duas semanas no processo, e como recebi muitas perguntas e dúvidas via redes sociais, achei legal compartilhar essa experiência com vocês mais detalhadamente aqui no blog. 😊

Como tudo começou

Reeducação alimentar - balança

Tudo começou quando parte da minha família iniciou o tratamento, sob a supervisão dos profissionais do Espaço Terapêutico Paulo Buosi (isso é muito importante! – Não faça dietas restritivas sem acompanhamento. Cada organismo é diferente. Pode ser muito perigoso).

A motivação já vinha há anos de um membro da família que emagreceu muitos quilos (acho que uns 40kg.🤔) e conseguiu se manter no peso. O que é uma verdadeira raridade em qualquer dieta que se faça. Não é mesmo?

Nos animamos e fizemos o mutirão da dieta! rs
A clínica aonde escolhemos fazer o tratamento trata a obesidade como uma doença, igual a dependência química. Primeiramente precisávamos tratar a cabeça, mudar hábitos e entender como o corpo funcionava. Enfim, são muitos os desafios.
Em primeiro lugar passamos com o psicólogo para uma conversa. Durante essa conversa ele tentou identificar se éramos compulsivos ou não. Pois para os casos de compulsão, é necessário um acompanhamento um pouco mais próximo.

O diagnóstico

O diagnóstico - Reeducação alimentar

A princípio fui diagnosticada como “não compulsiva”. Realmente acho que não sou compulsiva mesmo. Pois, não sou daquele tipo de pessoa que come um pote inteiro de sorvete de uma vez.. Sabe? Mas por outro lado eu comia muitas coisas engordativas em horários errados, em quantidades erradas, e de forma errada também.

Mantínhamos uma alimentação saudável, de maneira geral, mas com espaços demais para doces e snacks pouco saudáveis. Vocês acompanharam nossos posts antigos aqui no blog, com a preparação das marmitinhas. Comíamos arroz integral, legumes, carne moída. O problema realmente era a quantidade e esses extras que apareciam pelo caminho..rs

O passo seguinte foi passar com a nutricionista da clínica, para então fazer os exames de bioimpedância e ver quais as taxas de gordura do meu corpo. Fui avaliada e ganhei a minha meta de quilos para perder. A partir daí já recebi as orientações de como deveria comer, o que comer, em quais horários, as quantidades certas, o que podia e o que não podia. A primeira e temida fase já havia começado: “A abstinência”.

A abstinência

Abstinência - Reeducação alimentar

No primeiro momento eu achei que ia ficar maluca ao tirar o açúcar, carboidrato e frituras da dieta. Nada de chocolate, brigadeiro, pizza, pãozinho e pastel. Certamente isso parecia quase que impossível para mim.
Mas surpreendentemente não foi tão ruim assim! Sinceramente eu achei que seria muito pior. Eu passei vontade sim! Inegavelmente. Quis comer coisas que eu não podia. Mas, sinceramente, achei que eu me sentiria pior. Que seria mais desesperador. E isso foi um ponto positivo!

Já notei várias coisas boas em passar por essa difícil etapa do processo. Hoje dou mais valor a cada comida que coloco na minha boca. Como saboreando cada pedacinho. Parece que os sentidos ficaram mais aguçados também. Sinto o cheiro das comidas mais intensamente, coisa que antes não sentia tanto assim. Parece até que as frutas ficaram mais doces!

Percebi que realmente meu corpo não precisava de toda aquela quantidade de comida que eu ingeria antes. Eu consigo ser saudável, me alimentar super bem e comer menos ao mesmo tempo. Parece contraditório, mas funciona!

Hoje, eu fico simplesmente assustada com a quantidade de comida que colocávamos em nossas marmitinhas antigamente! 😱 Nós nunca havíamos pesado, nem tínhamos balança na verdade..rs Mas por curiosidade pesei uma delas, e deu mais de 500gr. Hoje, comemos menos da metade disso. E ficamos satisfeitos! Portanto, ficou claro que nós não precisávamos de tudo aquilo que estávamos ingerindo desordenadamente.

A ajuda da família

Como fizemos o mutirão familiar da dieta..rs Criamos um grupo no WhatsApp para irmos trocando figurinha durante esse restritivo processo. E foi a melhor coisa que fizemos! Nos ajudamos, trocamos receitas, elogios e incentivos. Isso ajuda demais a não desviarmos do nosso objetivo principal que é atingir a meta do peso ideal. Para assim podermos finalmente entrar na fase de manutenção, e ampliar um pouco a variedade do cardápio.

Reaprendendo a cozinhar

Como nessa nova fase estamos com uma série de restrições alimentares, chegamos então a conclusão de que precisávamos renovar as nossas marmitinhas com opções que pudéssemos comer sem medo e sem culpa. E foi isso que fizemos! Pegamos as receitas passadas pela nutricionista e fizemos as nossas próprias marmitinhas. E está ajudando demais!

Foi um domingo inteiro dedicado a comprar os alimentos certos, escolher o cardápio, cozinhar, pesar, embalar, etiquetar e dar um jeito de armazenar tudo isso em nossos freezers.. rs Deu trabalho, com certeza, mas ao final do dia havíamos feito 60 marmitinhas! Dividimos tudo e seguimos para a semana com mais tranquilidade, sabendo que tudo o que está ali no freezer nós podemos comer. Tudo conforme as orientações da nutricionista!

Próximas etapas

Ainda estou no começo dessa jornada, mas além dos quilos perdidos, há muito mais coisas para serem compartilhadas com vocês. Dicas, receitas, experiências, sensações, aprendizados, enfim.. Produtos que salvam o nosso dia! rs

Não percam os próximos posts aqui no blog e fiquem de olho também em nossas redes sociais!

Grande beijo e até mais! : *

4 comentários em “Reeducação alimentar: Primeiras semanas”

  1. Nossa vc está de Parabéns, uma excelente história de superação. Continue no foco, é desafiador mas vale a pena em todos os sentidos. Parabéns!!!
    Paty

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *